Quem matou Norma?

Quem matou Norma?

Por Sandra Maia | 

Quem matou Norma, da novela ‘Insensato Coração’?

Pois é, para quem assistiu a trama toda fica claro: Norma já estava morta havia muito tempo.

Morta de amor por um homem que a enganava descaradamente. Todos entendiam. Todos sabiam, inclusive ela. Ele era um amor bandido! Então ficam a questões: por que permanecemos, se tudo nos diz PERIGO, PERIGO? Por que não escutamos os sinais de alerta? Por que ficamos na história quando todos, absolutamente todos, nos aconselham o contrário?

Bem, olhando só para essa personagem, não vamos tratar aqui do parceiro, quero crer que a “dependência emocional” misturada à vaidade comanda o caso.

Sim, porque uma das características de quem depende emocionalmente do outro é achar que “comigo vai ser diferente”. Desta vez ele vai ser diferente. Desta vez ele está falando a verdade. Desta vez e só por esta vez, vou acreditar. E, assim, passam-se anos em relacionamentos que nada tem de saudável.

Um que usa e outro que sabe que está sendo usado e “faz de conta” que está tudo NORMAL.

Será? Será mesmo que é isso que liga dois? Um que depende e outro que manipula, isso é amor? Será esse o nome do sentimento de alguém que se doa e cobra? Dá e não recebe.

Cobra e controla outro que mente, inventa, dissimula? Aceita mentiras, aceita humilhação, agressões e diz estar tudo bem?

Será mesmo que dá para construir uma relação com base em mentiras e manipulação?
Por que então ficamos?

A meu ver, a explicação maior passa por baixa autoestima, medo, ilusão e crenças erradas que trazemos da infância. Tudo isso nos coloca num quadro de confusão de sentimentos e pensamentos que nos tira da verdade. Remete-nos a um mundo ideal, no qual fantasiamos que, sim, um dia tudo vai ser diferente. O outro vai nos amar. Vai nos escolher. Vai nos preferir.

E que doce fantasia viver esse sonho. Que na verdade é um pesadelo! E, a qualquer momento, seremos lembradas disso. Então, quero crer que, quanto antes entendermos, melhor. Quanto antes sairmos de cena, melhor. Quanto antes compreendermos que nossa história é um thriller e não uma comédia romântica, melhor!

Até porque, para fazer parte de uma história como essa, precisamos nos anular completamente. Morremos! Nos abandonamos para que o outro exista. O outro tenha o poder e a força. O outro nos dirija, como e para onde quiser.

Funciona? Não! Infelizmente não funciona. Um belo dia, quando não houver mais nada que interessa a esse outro, ele se vai e, então, bem, perdemos tudo o que nos mantinha de pé: a crença de que conosco seria diferente. Arrogância, vaidade, ego, tudo isso e mais um pouco.

Deixamo-nos perder para não sofrer e sofremos em dobro. Durante e depois de tudo.
O que fazer para não cair nessa armadilha? Buscar ajuda para mudar o padrão vicioso de comportamento que só quer confusão, só quer relações complicadas. Sair do círculo do medo, da ilusão e do ego e passar para o círculo da verdade, do amor e do self.

Fácil? Não, meus caros, nada é fácil quando a questão é sentimento, coração, emoção. Mas há de se tentar. Há de querer mais. Há de deixar de fazer pelo outro para começar a fazer por nós mesmos.

É possível?

Vale experimentar. Quem conseguiu sair desse círculo vicioso nem acredita que um dia viveu essa terrível experiência.

Escolhas, sempre escolhas.

Sandra Maia é autora dos livros Eu Faço Tudo por Você — Histórias e Relacionamentos Codependentes, Você Está Disponível? Um Caminho para o Amor Pleno e Coisas do Amor.

Anúncios

Sobre reanjinha211

Psicóloga clínica em São Paulo. Especialista em psicossomática psicanalítica.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s