Não espere demais do outro

Não espere demais do outro

A maior causa de sofrimento do ser humano segundo a filosofia do Yoga está voltada ao apego: seja por bens materiais, por ideias, pelo outro ou por tudo o que não lhe pertence.

A maior causa de sofrimento do ser humano segundo a filosofia do Yoga está voltada ao apego: seja por bens materiais, por ideias, pelo outro ou por tudo o que não lhe pertence.  Essa questão afeta sobremaneira os relacionamentos  e já era mencionada pelos textos dos Yoga Sutras escritos pelo sábio Patanjali, que datam de cerca de 600 AC.  Ou seja, o apego, o viver em função do outro, o distanciar-se do centro sempre impactou as relações e o ser.

Por isso, vale sempre ressaltar: quanto mais longe colocarmos a felicidade, mais nos distanciamos do centro, do que já trazemos dentro, mais nos distanciamos dessa mesma felicidade que já é nossa. Essa certeza aparece em outras tantas filosofias orientais e ocidentais e é também levada a todos, incansavelmente, pelos maiores mestres de todos os tempos.

Lição de desapego
Nesse momento, por coincidência, terminei de ler o livro “Mestres”, de José Tadeu Arantes. Ele apresenta histórias de Jesus, Plotino, Ibn Árabi, Goethe e outros e reafirma toda essa questão. Vale então a leitura quando o negócio é desapegar-se. Olhar para dentro. Ficar com o que é inato, com o que herdamos enquanto humanos e, é claro, aprender a abrir mão do que não é nosso. Viver a verdade, a beleza, o ser, deixar de lado tudo que ilude, atrapalha, nos tira de nós mesmos.

Nesse sentido, a cessação dos problemas da mente, a aquietação da alma e do espírito – tão almejadas na meditação – podem ser potencializadas com essa dinâmica que nos faz compreender que somos o todo e temos o todo em nós. E, face a isso, não há necessidade de nos aprisionar a um outro ou aprisionar a outro.

O desapego e o equilíbrio entre mente, corpo, emocional e espiritual corroboram para que, mais realistas, possamos simplesmente incluir o que é bom no nosso viver. Deixar livre, deixar viver e, ao mesmo tempo, deixar de lado o que não faz bem.

Relações
Posto isso, quando olho para as nossas relações, entendo que estas deveriam ser incluídas na nossa vida como um presente. Um algo a mais que nos dá a possibilidade de acessar tudo o que já é nosso.

O outro nos faz mais bonitos, mais leves mais alegres. Consegue isso porque desperta em nós a essência. A felicidade de ser, de doar-se, do aprender a caminhar com um outro e, desse modo, incrementar ainda mais nosso saber.

O pulo do gato nesse caso está em compreender que o outro só pode despertar o que temos. Somos já de antemão maravilhosos. Se tudo isso é verdade e muitos já encontraram essa tal felicidade interior, por que não encontramos uma realidade semelhante para nós também?

Causas perdidas
Ao longo da vida, ao contrário de muitos que conseguem separar o que é ser e o que é ter e estar, confundimos tudo e misturamos o nosso querer e sonhos com a busca de outro. Isso, além do desvio da nossa rota, em longo prazo, nos torna dependentes de histórias que não são nossas. Passamos a ser guardiães de causas perdidas e deixamos de lado nossos sonhos, nosso âmago, nosso ser.

Daí a abandonar nossos sonhos, abandonar nosso querer é um pulo… Talvez por isso insista em falar desse tema quando trato de amor e relacionamentos. Ele ainda é a base de toda a mudança possível para uma relação saudável.

E, como afirma Fernando Pessoa: “…Para ser grande, ser inteiro: nada teu exagera ou exclui. Se todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes…”

Anúncios

Sobre reanjinha211

Psicóloga clínica em São Paulo. Especialista em psicossomática psicanalítica.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s