Síndrome de Peter Pan

Síndrome de Peter Pan  
 

Existem
Pessoas que crescem fisicamente, mas não conseguem crescer
emocionalmente, socialmente e nem sexualmente. Aparentemente são
adultos, porém com comportamento imaturo em todos os sentidos. São
crianças grandes, mimadas e irresponsáveis.

Peter Pan,
provavelmente todo mundo já conhece ou pelo menos já ouviu falar: é a
história do menino que se recusa a crescer e a envelhecer.

Em
1983 o psicólogo, norte-americano Dan Kiley, aproveitou o gancho da
historia e publicou um livro:A Síndrome de Peter Pan. Síndrome do Homem
que Nunca Cresce, a psicologia denominou de Síndrome de Peter Pan e
passou a fazer referência a ela, embora não se tenha comprovação de ser
uma doença psicológica real,e por isso não é citada como doença no
CID-10 (Classificação internacional de doenças).

Homem que tem esta síndrome, apesar de parecer arrogante, é geralmente vulnerável, sensível a críticas, tem baixa-estima.

O
homem demora mais a amadurecer do que a mulher, mas alguns não se
tornam maduros nunca.São aqueles sempre imaturos.Se negam a assumir
responsabilidades,geralmente são narcisistas, rebeldes e se recusam a
envelhecer (como se isso adiantasse).

O pior é que a imaturidade
pode causar situações prejudiciais ao ser humano. Tanto no ambiente
familiar, afetivo, quanto no profissional. Por isso, a capacidade de
amadurecer deve ser uma constante na vida de cada indivíduo.

Imaturidade no trabalho pode gerar fracasso, pois não realiza escolha profissional.

A
Síndrome de Peter Pan é um conjunto de comportamentos infantis. Como:
fugir sempre das responsabilidades não pensar em sair da casa dos pais
por comodidade, não gostar de compromissos, usar roupas comuns a
adolescentes ,freqüentar festas . Mas não basta ter um comportamento
infantil para ser rotulando.

Segundo a psiquiatra Graciela
Moreschi, o eterno adolescente é alguém para quem a adolescência é uma
forma de vida, e não uma etapa evolutiva: “Isso significa que a
independência não é uma meta”. Moreschi, que publicou um livro de
divulgação sobre esse fenômeno, com essas atitudes essas pessoas têm
como prioridade desfrutar o momento. Se ganharem dinheiro o utilizam em
saídas, em roupas caras, um automóvel, uma moto ou viagens, e se não
ganham continuam dependendo de seus pais.

É importante deixar
claro que nem todos que aparentam possuir a dita síndrome de fato a
possuem. A questão pode estar relacionada simplesmente ao jeito de ser
da pessoa, Portanto é sempre indispensável a avaliação psicológica para
se confirmar
.

 
  Fonte: Marilandes Ribeiro Braga  
Anúncios

Sobre reanjinha211

Psicóloga clínica em São Paulo. Especialista em psicossomática psicanalítica.
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s