Transtorno da personalidade narcisista

TRANSTORNO DA PERSONALIDADE NARCISISTA

Características Diagnósticas:

A característica essencial do Transtorno da Personalidade Narcisista é
um padrão invasivo de grandiosidade, necessidade de admiração e falta
de empatia, que começa no início da idade adulta e está presente em uma
variedade de contextos.

Os indivíduos com este transtorno têm um sentimento grandioso de sua
própria importância (Critério 1). Eles rotineiramente superestimam suas
capacidades e exageram suas realizações, freqüentemente parecendo
presunçosos ou arrogantes. Eles podem presumir que os outros atribuem o
mesmo valor a seus esforços e surpreender-se quando não recebem o
louvor que esperam e julgam merecer.

Um menosprezo (desvalorização) da contribuição dos outros
freqüentemente está implícito na apreciação exagerada de suas próprias
realizações. Essas pessoas constantemente se preocupam com fantasias de
sucesso ilimitado, poder, inteligência, beleza ou amor ideal (Critério
2). Elas podem ruminar acerca de uma admiração e privilégios a que
teriam direito e comparar a si mesmos com vantagem sobre pessoas
famosas e privilegiadas.

Um indivíduo com Transtorno da Personalidade Narcisista se acredita
superior, especial ou único e espera ser reconhecido pelos outros como
tal (Critério 3). Ele pode achar que somente consegue ser compreendido
e apenas deve associar-se com outras pessoas especiais ou de situação
elevada, podendo atribuir qualidades de "singularidade", "perfeição" ou
"talento" àqueles a quem se associa. Os indivíduos com este transtorno
acreditam ter necessidades especiais, que estão além do entendimento
das pessoas comuns. Sua própria auto-estima é amplificada (isto é,
"espelhada") pelo valor idealizado que atribuem àqueles a quem se
associam. Eles tendem a insistir em ser atendidos apenas pelos
"melhores" (médicos, advogados, instrutores, cabeleireiros) ou em
afiliar-se às "melhores" instituições, mas podem desvalorizar as
credenciais daqueles que os desapontam.

Os indivíduos com este transtorno geralmente exigem admiração excessiva
(Critério 4). Sua auto-estima é, quase que invariavelmente, muito
frágil. Eles podem preocupar-se com o modo como estão se saindo e no
quanto são considerados pelos outros. Isto freqüentemente assume a
forma de uma necessidade de constante atenção e admiração. Eles podem
esperar que sua chegada seja recepcionada com grande alarde e ficar
perplexos pelo fato de os outros não cobiçarem tudo o que possuem. Eles
podem "caçar" elogios constantemente, por vezes de maneira muito
cativante. Um sentimento de intitulação manifesta-se na expectativa
irracional destes indivíduos de receber tratamento especial (Critério
5).

Eles
esperam ser adulados e ficam desconcertados ou furiosos quando isto não
ocorre. Eles podem, por exemplo, pensar que não precisam esperar na
fila e que suas prioridades são tão importantes que os outros lhes
deveriam mostrar deferência, e ficam irritados quando os outros deixam
de auxiliar em "seu trabalho muito importante". Este sentimento de
intitulação, combinado com uma falta de sensibilidade para com os
desejos e necessidades alheias, pode resultar na exploração consciente
ou involuntária dos outros (Critério 6).

Essas pessoas esperam
que lhes seja dado o que desejam ou julgam precisar, não importando o
que isto possa significar para os outros. Por exemplo, esses indivíduos
podem esperar grande dedicação da parte dos outros e sobrecarregá-los
de trabalho sem levar em conta o impacto que isto possa ter sobre suas
vidas. Eles tendem a formar amizades ou relacionamentos românticos
somente se vislumbrarem a possibilidade de que a outra pessoa vá ao
encontro de seus objetivos ou de outro modo aumente sua auto-estima.
Eles freqüentemente usurpam privilégios especiais e recursos extras,
que julgam merecer por serem tão especiais.

Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Narcisista em geral
carecem de empatia e têm dificuldade em reconhecer os desejos,
experiências subjetivas e sentimentos dos outros (Critério 7). Eles
podem presumir que os outros se preocupam integralmente com seu
bem-estar, e tendem a discutir suas próprias preocupações em detalhes
inadequados e extensos, deixando de reconhecer que os outros também têm
sentimentos e necessidades. Estes indivíduos freqüentemente desprezam e
se impacientam com outras pessoas que falam de seus próprios problemas
e preocupações. Eles podem não perceber a mágoa causada por seus
comentários (por ex., dizer alegremente a um ex-companheiro: "Agora
encontrei o amor de minha vida!"; alardear saúde diante de alguém que
está enfermo). Quando reconhecem as necessidades, desejos ou
sentimentos alheios, tendem a vê-los como sinais de fraqueza ou
vulnerabilidade. Aqueles que se relacionam com indivíduos com
Transtorno da Personalidade Narcisista tipicamente descobrem neles uma
frieza emocional e falta de interesse mútuo.

Estes indivíduos freqüentemente invejam os outros ou acreditam que os
outros têm inveja deles (Critério 8). Eles podem guardar rancor pelos
sucessos ou posses dos outros, achando que seriam mais merecedores
destas realizações, admiração ou privilégios. Eles podem desvalorizar
rudemente as contribuições dos outros, particularmente quando estes
receberam reconhecimento ou elogios por suas realizações.
Comportamentos arrogantes e insolentes caracterizam estes indivíduos.
Eles freqüentemente exibem atitudes esnobes, desdenhosas ou
condescendentes (Critério 9).

Por exemplo, um indivíduo com este transtorno pode queixar-se da
"estupidez" ou "babaquice" de um garçom desajeitado ou concluir um
exame médico avaliando o clínico de modo condescendente.

Características e Transtornos Associados:

A
vulnerabilidade da auto-estima torna os indivíduos com Transtorno da
Personalidade Narcisista muito sensíveis a "mágoas" por críticas ou
derrotas. Embora possam não demonstrar abertamente, as críticas podem
assolar esses indivíduos e levá-los a se sentirem humilhados,
degradados e vazios. Sua reação pode ser de desdém, raiva ou
contra-ataque afrontoso. Essas experiências freqüentemente levam a um
retraimento social ou a uma aparência de humildade que pode mascarar e
proteger a grandiosidade.

As
relações interpessoais [522]tipicamente são comprometidas pelos
problemas resultantes do sentimento de intitulação, da necessidade de
admiração e do relativo desrespeito à sensibilidade alheia. Embora a
ambição e a confiança ufanista possam levar a altas realizações, o
desempenho pode ser perturbado em virtude da intolerância a críticas ou
derrotas. Às vezes o desempenho profissional pode ser muito baixo,
refletindo uma relutância para assumir riscos em situações competitivas
ou de outra espécie, nas quais a derrota é possível. Sentimentos
persistentes de vergonha ou humilhação e a autocrítica pertinente podem
estar associados com retraimento social, humor deprimido e Transtorno
Depressivo Maior ou Distímico.

Por outro lado, períodos
persistentes de grandiosidade podem estar associados com um humor
hipomaníaco. O Transtorno da Personalidade Narcisista também está
associado com Anorexia Nervosa e Transtornos Relacionados a Substâncias
(especialmente relacionados à cocaína). Os Transtornos da Personalidade
Histriônica, Borderline, Anti-Social e Paranóide podem estar associados
com o Transtorno da Personalidade Narcisista.

Características Específicas à Idade e ao Gênero:

Os
traços narcisistas podem ser particularmente comuns em adolescentes,
não indicando, necessariamente, que o indivíduo terá um Transtorno da
Personalidade Narcisista. Os indivíduos com Transtorno da Personalidade
Narcisista podem ter dificuldades especiais no ajustamento ao início
das limitações físicas e ocupacionais inerentes ao processo de
envelhecimento. Os homens perfazem 50 a 75% dos indivíduos com o
diagnóstico de Transtorno da Personalidade Narcisista.

Prevalência:

As estimativas da prevalência do
Transtorno da Personalidade Narcisista variam de 2 a 16% na população
clínica e são de menos de 1% na população geral.

Diagnóstico Diferencial:

Outros Transtornos da
Personalidade podem ser confundidos com o Transtorno da Personalidade
Narcisista, por terem certos aspectos em comum, de modo que é
importante distinguir esses transtornos com base em seus aspectos
característicos. Entretanto, se um indivíduo tem características de
personalidade que satisfazem os critérios para um ou mais Transtornos
da Personalidade além do Transtorno da Personalidade Narcisista, todos
podem ser diagnosticados.

O
aspecto mais útil para a discriminação entre o Transtorno da
Personalidade Narcisista e os Transtornos da Personalidade Histriônica,
Anti-Social e Borderline, cujos estilos de interação são,
respectivamente, sedutor, indiferente e carente, é a grandiosidade
característica do Transtorno da Personalidade Narcisista. A relativa
estabilidade da auto-imagem, além da relativa ausência de
autodestrutividade, impulsividade e preocupações com abandono, também
ajudam a distinguir o Transtorno da Personalidade Narcisista do
Transtorno da Personalidade Borderline.

O excessivo orgulho por
realizações, uma relativa ausência de manifestações emocionais e um
desdém pela sensibilidade alheia ajudam a distinguir o Transtorno da
Personalidade Narcisista do Transtorno da Personalidade Histriônica.
Embora os indivíduos com Transtornos da Personalidade Borderline,
Histriônica e Narcisista possam exigir muita atenção, aqueles com
Transtorno da Personalidade Narcisista precisam, especificamente, que
esta atenção se manifeste como admiração. Os indivíduos com Transtorno
da Personalidade Anti-Social e Transtorno da Personalidade Narcisista
compartilham uma tendência a serem insensíveis, superficiais,
exploradores e não-empáticos.

Entretanto, o Transtorno da
Personalidade Narcisista não inclui, necessariamente, características
de impulsividade, agressão e engodo. Além disso, os indivíduos com
Transtorno da Personalidade Anti-Social podem não necessitar tanto da
admiração e inveja dos outros, e as pessoas com Transtorno da
Personalidade Narcisista em geral não possuem uma história de
Transtorno da Conduta na infância ou comportamento criminoso na idade
adulta. Tanto no Transtorno da Personalidade Narcisista quanto no
Transtorno da Personalidade Obsessivo-Compulsiva, os indivíduos podem
professar um compromisso com o perfeccionismo e acreditar que os outros
não conseguem fazer as coisas tão bem quanto eles.

Em contraste
com a autocrítica que acompanha os indivíduos com Transtorno da
Personalidade Obsessivo-Compulsiva, os indivíduos com Transtorno da
Personalidade Narcisista estão mais propensos a crer que atingiram a
perfeição. Desconfianças e retraimento social geralmente distinguem os
indivíduos com Transtorno da Personalidade Esquizotípica ou Paranóide
daqueles com Transtorno da Personalidade Narcisista. Quando essas
qualidades estão presentes em indivíduos com Transtorno da
Personalidade Narcisista, elas originam-se principalmente do medo de
que sejam reveladas suas falhas ou imperfeições. A grandiosidade pode
emergir como parte de Episódios Maníacos ou Hipomaníacos, mas a
associação com uma alteração do humor ou prejuízos funcionais ajuda a
fazer a distinção entre esses episódios e o Transtorno da Personalidade
Narcisista.

O Transtorno da Personalidade Narcisista deve ser diferenciado de uma
Alteração da Personalidade Devido a uma Condição Médica Geral, na qual
os traços emergem devido aos efeitos diretos de uma condição médica
geral sobre o sistema nervoso central. Ele também deve ser diferenciado
de sintomas que podem desenvolver-se em associação com o uso crônico de
substâncias (por ex., Transtorno Relacionado à Cocaína Sem Outra
Especificação).

Muitos indivíduos altamente bem-sucedidos exibem traços de
personalidade que poderiam ser considerados narcisistas, porém estes
traços somente constituem um Transtorno da Personalidade Narcisista
quando são inflexíveis, mal-adaptativos e persistentes e causam
prejuízo funcional significativo ou sofrimento subjetivo.

Critérios Diagnósticos para F60.8 – 301.81 Transtorno da Personalidade Narcisista:

Um padrão invasivo de grandiosidade (em fantasia ou comportamento),
necessidade de admiração e falta de empatia, que começa no início da
idade adulta e está presente em uma variedade de contextos, indicado
por pelo menos cinco dos seguintes critérios:

(1) sentimento grandioso da própria importância (por ex., exagera
realizações e talentos, espera ser reconhecido como superior sem
realizações comensuráveis)
(2) preocupação com fantasias de ilimitado sucesso, poder, inteligência, beleza ou amor ideal
(3) crença de ser "especial" e único e de que somente pode ser
compreendido ou deve associar-se a outras pessoas (ou instituições)
especiais ou de condição elevada
(4) exigência de admiração excessiva
(5) sentimento de intitulação, ou seja, possui expectativas irracionais
de receber um tratamento especialmente favorável ou obediência
automática às suas expectativas
(6) é explorador em relacionamentos interpessoais, isto é, tira vantagem de outros para atingir seus próprios objetivos
(7) ausência de empatia: reluta em reconhecer ou identificar-se com os sentimentos e necessidades alheias
(8) freqüentemente sente inveja de outras pessoas ou acredita ser alvo da inveja alheia
(9) comportamentos e atitudes arrogantes e insolentes

Pesquisa no DSM – IV – Dra.Elaine Marini

DSM – IV

Anúncios

Sobre reanjinha211

Psicóloga clínica em São Paulo. Especialista em psicossomática psicanalítica.
Esse post foi publicado em Saúde e bem-estar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s